25 de set de 2011

Sensações ao extremo: fazendo escolhas

Quando comprei meu Rock in Rio Card, em dezembro de 2010, eu não fazia muita ideia do que isso significava. Além de, é claro, significar R$ 120 de prejú no cartão e outros tantos centos em passagens aéreas, comida e pequenas despesas. Eu não sabia como ia pagar isso tudo, mas comprei a entrada.

Não era um Rock in Rio qualquer: o Metallica ia se apresentar. E ainda vai. Daqui a poucas horas. 

Outros tantos mil brasileiros e infiltrados, cambistas e vovós metidas a truezonas estarão lá. Menos eu, que estarei na Finlândia, aguentando meu marido tocar Iron Maiden. Ele é um excelente guitarrista. Um dos melhores que já vi. Mas Iron Maiden é um pouco de descaso com meu sofrimento.

Mermão, que caos! Diabo de Iron Maiden! Deixei minha família e meus amigos do outro lado do oceano, todos devidamente em-pê-te-cidos comigo porque escolhi vir pra esse rumo. E porque não estariam? Eu mesma nem sei explicar as motivações que culminam nas minhas escolhas, só sei que o Iron Maiden tá me dando nos nervos.

De dezembro até poucas semanas antes de eu saber que viria pra cá, eu esperava o dia 25 de setembro de 2011 como um fanático que espera Jesus Cristo aparecer na Terra. E agora que este dia chegou, caí numa teia mental de pequenas realizações cognitivas, a famosa ficha acaba de descer os últimos dutos da minha consciência, como um gole seco.

E respondendo a pergunta da geral: a vida por aqui vai começar amanhã, 26 de setembro.

Um comentário:

  1. Oi Renée, eu tava fuçando no meu canal no YT hoje e encontrei isso por acaso; lembrei que você mencionara o Iron, resolvi então postar aqui, a título de curiosidade, talvez você goste
    http://youtu.be/H1b6Gs79ZrE

    ResponderExcluir